Confira:

6/recent/ticker-posts

Importância do jornalismo é destaque na abertura da 2ª turma do Mentor



PORTO VELHO, RO - Um bate-papo recheado de reflexões e trocas de experiências marcaram o início do treinamento da segunda turma do Mentor, programa de estágio em jornalismo do Metrópoles. O encontro ocorreu nesta terça-feira (29/3) e contou com participação da diretora-executiva do portal, Lilian Tahan.

Durante a conversa, a jornalista falou sobre as mudanças na forma de se fazer e consumir conteúdo nas redes sociais e a importância de as redações se adaptarem a este contexto. “A ideia é estar em todos os lugares em que as pessoas possam nos consumir. Nosso jornalismo é um jornalismo democrático”, explica Lilian.

A diretora-executiva refletiu sobre como o ambiente digital abriu possibilidades para que pessoas comuns possam compartilhar informações por conta própria. Por isso, o trabalho do jornalista se faz necessário.

“O jornalismo não está perto de morrer, em hipótese alguma. Quem tem o treinamento, a responsabilidade de checar, de ouvir o contraditório, e fazer isso da maneira mais rápida e isenta é o jornalista. Mais do que nunca, a nossa profissão é válida e necessária”, frisa.

Lilian também pontuou sobre as possibilidades de atuação para os novos estagiários. Ela ressaltou que o objetivo do programa é fazer com que todos tenham a oportunidade de experimentar diferentes áreas para que possam descobrir com quais se identificam.

“Todo mundo que chega (ao Metrópoles) é acolhido no sentido de encontrar um espaço em que você se sinta bem e, especialmente, trabalhando potencialidades.”


Lilian Tahan destacou a importância do jornalismo nos tempos atuaisIgo Estrela/Metrópoles



Estagiários passarão por treinamentosIgo Estrela/Metrópoles



Coordenadora da mentoria, a jornalista Maria Eugênia explicou aos estudantes que o treinamento é uma ferramenta para que eles possam “despertar” o que há de melhor na formação de cada um. “Essas ferramentas são apenas instrumentos para ajudá-los. O sucesso na carreira vai depender do empenho de vocês”, completa.

Mão na massa

Ao longo do programa, os 13 estudantes selecionados vão passar por treinamentos em técnicas de texto e apuração, mecanismos do jornalismo digital, como o Search Engine Optimization (SEO); noções de fotografia e vídeo; Lei de Acesso à Informação; ferramentas de checagem de conteúdo e vários outros temas.

Além disso, os estagiários também terão palestras com editores, repórteres e outros jornalistas que são referência no mercado. Ao final da imersão, passarão por um período de experiência em todas as editorias do Metrópoles.

O Mentor será a primeira experiência em redação de Stefany Serra, de 21 anos, aluna do 5º semestre de jornalismo da Universidade de Brasília (UnB). Ela conta que está com expectativas altas. “Espero sair com um conhecimento legal para poder me dar bem no mercado de trabalho.”

Já Letícia Perdigão, 22, que cursa o 7º semestre no Centro Universitário de Brasília (UniCeub), vê a oportunidade de consolidar conhecimentos adquiridos em outros estágios. “É um jornal de dimensão muito maior, então, são mais espectadores, e uma responsabilidade maior também”, assinala.

Para Thiago Guimarães, 21, também da UnB, o Mentor é uma experiência única em Brasília, já que a maioria dos programas de estágio fica no eixo Rio-São Paulo. O estagiário não vê a hora de colocar a mão na massa. “Isso aqui eu ainda não consegui em nenhuma outra experiência de estágio, nem mesmo na faculdade. É colocar em prática aquilo que estou aprendendo.”

O sentimento é compartilhado pela colega Eline Sandes, 21, da UnB. “Eu tô animada para participar de tudo. Quero experimentar um pouco de cada editoria, trabalhar com projetos diferentes. Espero aprender bastante. Sair um pouco daquela caixinha de ficar sempre na simulação das aulas. Colocar a mão na massa”, salienta.

Karolini Bandeira, 20, da UnB, concorda e afirma que a experiência já tem sido positiva. Antes mesmo da abertura, os estagiários passaram por treinamentos sobre o sistema de publicação e outras ferramentas. “Aqui eu tô aprendendo muitas técnicas de SEO, que ajudam a impulsionar as matérias. São coisas que eu nunca tinha aprendido em outras experiências.”

Porta de entrada

Prestes a se formar, a expectativa de Danielle Souza, 22, da UnB, é que o programa seja a porta de entrada para o mercado de trabalho. “Espero sempre me aperfeiçoar mais e, futuramente, como estou pretendendo terminar o curso, talvez seja uma oportunidade me efetivar como repórter”, sonha.

“As minhas expectativas são as mais altas possíveis, porque aqui há profissionais altamente exemplares, como Maria Eugênia, que é renomada e que vai poder nos ajudar muito nesta caminhada durante o curso”, completa o estudante de jornalismo do UniCeub Mateus Arantes, 22.

Trajetória de sucesso

Em pouco menos de sete anos de existência, o Metrópoles venceu 137 troféus e certificados; 29 são internacionais. A equipe já levou 15 medalhas no prêmio The Best of Digital Design, organizado pela Society of News Design, ganhou nove categorias do Prêmio Policiais Federais e conquistou seis CNTs e cinco Ñhs.

O Metrópoles está no top 3 do ranking dos veículos mais premiados do Brasil. O levantamento feito pelo Jornalista&Cia levou em conta os concursos que aconteceram em 2019, 2020 e 2021. No pódio, também aparecem a TV Globo e a Folha de S. Paulo.

O portal de notícias atingiu em janeiro deste ano a marca de 1,3 bilhão de visualizações em todas as plataformas. O número se refere à soma dos acessos via Google, Facebook, Instagram, TikTok, Kwai e YouTube.


Fonte: Metrópoles

Postar um comentário

0 Comentários