Confira:

6/recent/ticker-posts

BOATE KISS - Condenados por incêndio na Boate Kiss se apresentam à Justiça e são presos


Decisão de Luiz Fux, do STF, derrubou habeas corpus preventivo que impediu prisão imediata após fim do julgamento na última sexta (10)


Porto Velho, RO - Os quatro homens condenados no julgamento do incêndio da Boate Kiss na última sexta-feira (10) se entregaram à Justiça e já foram encaminhados para o sistema penitenciário após o ministro Luiz Fux, presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), derrubar um habeas corpus preventivo dos réus.

Os sócios da boate Kiss, Elissandro Callegaro Spohr e Mauro Londero Hoffmann, o vocalista da Banda Gurizada Fandangueira, Marcelo de Jesus dos Santos, e o produtor musical Luciano Bonilha Leão foram condenados no julgamento da tragédia que aconteceu em 27 de janeiro de 2013, em Santa Maria, no Rio Grande do Sul.

Luciano e Marcelo foram encaminhados para o presídio estadual de São Vicente do Sul, a cerca de 90km de Santa Maria. Elissandro, também conhecido como Kiko, está no Complexo Penitenciário de Canoas (RS), enquanto Mauro Hoffmann foi levado para a unidade prisional de Tijucas, em Santa Catarina.

Marcelo e Elissandro já haviam se apresentado à Justiça logo após a decisão de Fux.

Os quatro acusados foram sentenciados pelo juiz Orlando Faccini Neto, do RS. As condenações valeriam a partir de seu anúncio. No entanto, um habeas corpus preventivo, concedido pelo desembargador Manuel José Martinez Lucas do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul (TJRS), a um dos réus impedia o cumprimento imediato das penas, que foram as seguintes:
Elissandro Callegaro Spohr (sócio da boate): 22 anos e 6 meses de reclusão
Mauro Londero Hoffmann (também sócio): 19 anos e 6 meses de reclusão
Marcelo de Jesus dos Santos (vocalista da banda Gurizada Fandangueira): 18 anos de reclusão
Luciano Bonilha Leão (auxiliar da banda): 18 anos de reclusão

O desastre, que matou 242 pessoas e deixou 636 feridas, começou no palco, onde se apresentava a banda Gurizada Fandangueira, após um show pirotécnico. As chamas logo se alastraram, provocando muita fumaça tóxica. Um dos integrantes disparou um artefato pirotécnico, atingindo parte do teto do prédio, que pegou fogo.

Fonte: CNN Brasil


Postar um comentário

0 Comentários