Confira:

6/recent/ticker-posts

Diarista é presa por engano durante aniversário e passa duas noites na cadeia



Inquérito da polícia apontou ela como suspeita de participar de um homicídio em vez de uma mulher com o mesmo nome que mora no mesmo bairro. Agora ela estuda processar o Estado por dano moral.

PORTO VELHO, RO - 
Durante sua festa de aniversário de 35 anos, no último sábado (11), a diarista Natalia Xavier Carrera recebeu uma visita inesperada, mas não se tratava de um convidado para a confraternização. Era uma equipe da Polícia Militar que foi até a casa dela por volta das 22h para prendê-la com um mandado de prisão por um homicídio.

Depois de passar duas noites presa, uma na delegacia e outra na cadeia em Cruzeiro (SP), ela foi solta porque a Polícia Civil informou à Justiça que houve um equívoco no inquérito e ela foi confundida com uma mulher de mesmo nome.

"Bateram no meu portão, meu filho foi atender e voltou correndo dizendo que era a polícia me procurando. Me identifiquei e disseram que teria que acompanhar eles até a delegacia. Nem me deram explicações. Na delegacia algemaram meus pés e me colocaram dentro de uma salinha pequena. Ouvi minha mãe desesperada lá fora. Foi pior que filme de terror", conta Natália.



Diarista é presa por engano durante aniversário e passa duas noites na cadeia em Cruzeiro (SP); Decisão mostra que prisão foi revogada na segunda-feira (13) — Foto: Reprodução/ TJ-SP/ Arte-g1

Crime com homônima suspeita

O crime pelo qual ela foi acusada ocorreu na madrugada do dia 25 de maio na região central de Cruzeiro. Três jovens foram presos pelo assassinato de um homem de 44 anos, que morreu por espancamento. Além deles, câmeras do COI identificaram que após a vítima cair, uma mulher que estava com os criminosos chega perto do homem e dá chutes e pisa na cabeça dele.

No inquérito ela foi identificada como Natália. A mulher de mesmo nome mora no mesmo bairro de Natália Xavier Carrera, tem uma filha com o mesmo nome, mas está foragida. Até que o erro fosse reparado, foram duas noites e uma audiência de custódia na Justiça.

"No domingo fui levada para a audiência de custódia. Fui algemada nos pés e nas mãos e levada em uma viatura da policia até o Fórum de Guaratinguetá. Não tive contato com advogado até 20 minutos antes da audiência. Só aí que fui saber do que estava sendo acusada", relembra Natália.



câmeras do COI identificaram que após a vítima estar caída, uma mulher que estava com os criminosos chega perto do homem e dá chutes e pisa na cabeça dele — Foto: Reprodução

"Depois de 10 minutos que tinha falado com o advogado é que liguei o nome à pessoa. Na mesma rua tem uma pessoa com o mesmo nome que o meu, aí comuniquei ele e entendi tudo o que estava acontecendo", recorda Natália.

Reparação

O comunicado do erro foi feito pela Polícia Civil à Justiça na segunda-feira (13). No mesmo dia foi determinada a revogação da prisão dela. Agora Natália e o advogado estudam entrar com uma ação de danos morais contra o Estado pelo erro.



Diarista foi presa por engano durante aniversário e passou duas noites na cadeia em Cruzeiro (SP); Documento do dia 13 de junho mostra comunicado de erro da Polícia Civil à Justiça — Foto: Reprodução/ Arte-g1

"Não tem como apagar o que vivi. O trauma que meus filhos estão vivendo porque já acontece de ouvirem piadinhas. Sou diarista. Levanto todo dia 5h30, 6h para trabalhar honestamente e passar o que passei? No momento não tenho psicológico para voltar a trabalhar e isso pode até me afetar a conseguir algum trabalho", lamenta.

"Não dá para dizer que foi um erro doloso, mas é gravíssimo", avalia o advogado Juliano Simões Machado, que também avalia uma representação junto à corregedoria para punição de agentes responsáveis pela identificação incorreta.

A Secretaria de Segurança Pública (SSP) e a Polícia Militar foram procuradas nesta terça-feira (14) pela reportagem, mas não retornaram até a publicação da reportagem.



Diarista Natalia Xavier Carrera (primeira à esquerda) foi presa por engano durante aniversário em Cruzeiro (SP); Foto com amigos e família foi tirada minutos antes da chegada da polícia na casa dela — Foto: Arquivo pessoal


Fonte: G1


Postar um comentário

0 Comentários