Confira:

6/recent/ticker-posts

Sem reduzir preço do diesel, Bolsonaro acena com crédito do BB para caminhoneiros no ano eleitoral


Apesar dos juros abaixo da média do mercado, medida desagradou parte da categoria que é uma das bases políticas do presidente

PORTO VELHO, RO - Sem conseguir reduzir o preço do óleo diesel na bomba, o governo de Jair Bolsonaro anunciou na quinta-feira novo benefício para os caminheiros: uma linha de crédito facilitada para a antecipação de valores de frete no Banco do Brasil (BB). Base fiel do presidente, a categoria já havia sido agraciada semana passada com um programa de renovação de frota, com subsídios públicos para a recompra de caminhões usados de autônomos.

Apesar dos juros abaixo da média do mercado, a nova linha gerou críticas de alguns caminhoneiros.

Batizada de “BB Antecipa Frete”, ela permite a esses profissionais, com uma das menores taxas de juros do mercado, um empréstimo com lastro em recebíveis futuros de até 120 dias de frete. O potencial da nova linha de crédito é de R$ 8 bilhões.

Segundo o BB, a linha terá juros a partir de 1,79% ao mês, dependendo do perfil do tomador. A operação pode ser realizada por meio digital, pelo aplicativo do BB.

Para acessar o crédito é preciso que o tomador seja cliente e vinculado a transportadoras conveniadas ao BB.

Segundo o presidente do BB, Fausto Ribeiro, a instituição conta com 2,5 mil empresas do segmento que são correntistas e 132 mil caminhoneiros, que são clientes.

— Considerando a renda média destes clientes, estamos falando de um potencial de quase R$ 8 bilhões por ano em fretes antecipados. E o Banco do Brasil está de braços abertos para receber todos os caminhoneiros e empresas do segmento para abrir as contas — afirmou Fausto.

Mototaxi e produtor rural

Não é a primeira vez que o banco se aproxima de uma das bases de apoio do presidente. Ao longo de um ano de gestão, Fausto aumentou o crédito a produtores rurais, uma das principais categorias alinhadas com Bolsonaro. Desde que chegou ao comando do banco público, as críticas do presidente contra a instituição sumiram.

Além do agronegócio, o executivo também se aproximou de pautas sociais do governo e escolheu diretores com trânsito no Congresso. Essa interlocução com as bases está presente também na agenda do executivo, que inclui viagens frequentes a fazendas, onde ouve diretamente os pleitos dos produtores.

Os caminhoneiros estão entre os apoiadores do presidente Jair Bolsonaro, que participou do evento de lançamento da medida na sede do BB.

— (Gostaria de) Agradecer, parabenizar a todos, que trabalharam nesse BB antecipa frete, que passa para menos de 2% ao mês, mas em qualquer posto você paga 10% hoje em dia para antecipar frete. É uma agiotagem moderna que vai deixar de existir a partir de agora — disse o presidente.


Marcelo Sampaio, novo ministro da Infraestrutura, comentou a novidade:

— Muitas vezes o caminhoneiro tira do próprio bolso para pagar o combustível. Gostaria de relatar que muitas vezes é pago com a carta-frete, que é algo que esse governo tem combatido desde o primeiro dia, liberar o caminhoneiro da carta-frete. A carta-frete às vezes leva 10% do valor do combustível, e agora o Banco do Brasil vem com a taxa de 1,79%. Isso é uma revolução, traz liberdade e mais renda para o caminhoneiro.

O governo já lançou neste ano, por exemplo, um programa para renovar a frota de caminhões, em que usa recursos que já são pagos por empresas de petróleo para comprar veículos velhos. Ontem, Bolsonaro indicou outras medidas a categorias que o apoiam e até o simbolizam: as maiores manifestações políticas do presidente na pandemia foram as “motociatas”.

— Conversando com o Paulo Guedes, tem a isenção de IPI para táxi, pessoas com deficiência. Falei “por que não tem para o mototaxista também?” Ficou de estudar e viabilizar caso seja possível o mais rápido possível — disse.

No evento, o BB anunciou a emissão de sua primeira Cédula de Produto Rural (CPR Preservação), com objetivo de apoiar produtores rurais na preservação do meio ambiente.

A nova modalidade de crédito possibilita a monetização da área preservada, tendo como lastro para o financiamento a vegetação nativa do imóvel rural, segundo o BB. Os produtores terão acesso a recursos adicionais para arcar com custos decorrentes de atividades produtivas e de conservação, o que agrega valor aos produtos.

Críticas gerais

O governo só divulgou a taxa mínima da linha, de 1,79% ao mês, mas não detalhou as condições. Este crédito poderá chegar a 3,79% ao mês. em função do risco do cliente e do prazo da operação.

Para o caminhoneiro Maurício Pachoalini, a medida tem restrições, pois somente pode pegar o crédito quem é cliente do BB e vinculado a uma transportadora. Segundo ele, a maioria dos profissionais atua como freelancer, sem emprego fixo:

— Essa merreca não vai resolver nada. O que queremos é um diesel mais em conta. Nem tenho conta no BB.

Cristiano Vilela, advogado e membro da Confederación Americana de los Organismos Electorales Subnacionales, critica a operação:

— A atuação do agente político como forma de se valer da estrutura da administração ou de uma empresa pública é indevida e poderá configurar de abuso do poder político. (Colaborou Eliane Oliveira)


Fonte: O Globo

Postar um comentário

0 Comentários