Confira:

6/recent/ticker-posts

O DIA NA HISTÓRIA

PORTO VELHO, RO 

BOM DIA 1º DE ABRIL!

COMEMORA-SE

Dia da Mentira ou  Dia dos Bobos de Abril. Dia da Abolição da Escravidão Indígena. Dia Internacional da Diversão no Trabalho.

Católicos lembram Santa Gema Galgáne, São Estanislau, Sanga Maria do Egito, também venerada na Igreja Copta, São Melitão de Sardes. Anglicanos lembram Frederick Denison Maurice, 

RONDÔNIA

1964 – Membros do Governo do Território, lideranças estudantis e sindicais são presos em Porto Velho e Guajará-Mirim pelo Exército, por ordem do capitão Anachreonte.

1969 – Decreto do governador João Carlos Marques Henrique Neto eleva o povoado de Vilhena a distrito de Porto Velho.

BRASIL

1964 – Com o presidente João Goulart ainda no Brasil (RS), o presidente do Senado Auro de Moura Andrade decreta a vacância na Presidência da República.

MUNDO

1862 — É publicado o livro Os Miseráveis do escritor francês Victor Hugo. 1960 - O satélite TIROS-1 transmite a primeira imagem de televisão da Terra obtida a partir do espaço. 2002 - A Holanda tornou-se o primeiro país a legalizar a eutanásia. 2004 — Google anuncia o Gmail para o público.

FOTO DO DIA

O primeiro dia do Movimento cívico-militar de 1964, o 1º de abril, teve um pouco de tudo em Porto Velho, nas decisões que começaram a ser tomadas pelo capitão Anachreonte (foto), autoproclamado “agente da revolução”. Ainda era madrugada quando uma caminhonete do Exército parou em frente a uma casa no Bairro Caiari. Quando o dono da casa abriu a porta teria dito aos soldados “O comunista mora aí ao lado”. A missão da patrulha era levar o cidadão para reunir com o capitão, de onde saiu prefeito da capital. Vários líderes ligados à célula do Partido Comunista e membros do governo e da prefeitura foram presos. Cloter Mota, militante comunista e depois deputado estadual, contava que enquanto os “do governo” foram levados para o quartel da Guarda Territorial, com instalações para lá de precárias, os comunistas foram para uma sala do comando da 3ª Cia de Fronteira.


Fonte: Lúcio Albuquerque

Postar um comentário

0 Comentários