Confira:

6/recent/ticker-posts

FESTIVAL - Com a participação de 42 artistas de três estado, Béra Hap inicia nesta quinta-feira


Serão cinco shows por noite; o evento será transmitido pelo canal do Youtube da artista rondoniense e produtora do evento, Negra Mari. A atividade encerra dia 17.

PORTO VELHO, RO - O primeiro Béra Rap Festival de Hip Hop de Rondônia inicia nesta sexta-feira,14, e se estende até o dia 17 deste mês, no formato virtual. Serão cinco atrações diárias com a participação de 42 artistas de três estados – Rondônia, Mato Grosso (Cuiabá) e Amazonas (Manaus). O evento será transmitido pelo canal do Youtube/Negra Mari.

De Rondônia, participam os municípios de Ji-Paraná, Ouro Preto do Oeste, Ariquemes, Candeias do Jamari e Porto Velho. As gravações com os artistas ocorreram no Espaço Tapiri, na capital rondoniense. A Idealização e produção é da rapper, atriz e produtora cultural Negra Mari, de Ariquemes.

No último dia do Festival, dia 17, ocorrerá o lançamento do documentário em homenagem a RDG, o Rodrigão (Rodrigo Lopes), um dos percursores do movimento rap no estado.



Ele começou com o projeto de resgate de meninos e meninas em situação de rua. Em seguida criou o Família Atitude Central, com o objetivo de acolher e reabilitar as crianças e adolescentes resgatados das ruas, das drogas e do crime.” Perdemos Rodrigão em 2020 para a Covid-19, mas seu legado é nossa motivação e inspiração”, declarou Negra Mari.

Marginalização
.
Mari explica que a categoria de artistas que atua na cena do movimento Hip Hop sofre com a marginalização e a discriminalização à cultura da periferia, algo comum na sociedade, mas não aceitável pelos artistas que integram esse segmento.

“Com a pandemia, quem faz arte sentiu fortemente os impactos da crise financeira. Os grafiteiros, cantores, especialmente os de hip hop, assim como os DJs foram duramente atingidos”, pontuou.

De acordo com Negra Mari, o principal objetivo do projeto Béra Rap Festival é remunerar financeiramente os artistas e dar visibilidade aos mesmos “e a Lei Aldir Blanc possibilitou que isso ocorresse. É mais do que justo os artistas receberem por seu trabalho”.

Por que Béra Rap?

A idealizadora do evento afirma que decidiu colocar esse nome porque durante muito tempo era comum chamar, de forma pejorativa, os moradores de Rondônia de beradeiros (pessoas que moram e vivem na beira do rio).

“Artistas de Porto Velho, inclusive nosso RDG, começaram um processo de ressignificar o termo e apropriar dele como um grande título. Hoje se der um Google vai encontrar: Beradeiro, pessoa que tem orgulho de ser rondoniense e morar na beira do rio”, enfatiza, acrescentando que “As principais cidades do nosso estado foram construídas próximas aos rios, por isso, nossos rios representam vida, subsistência e energia.

Lei Aldir Blac

O projeto é fomentado com recurso da lei federal Aldir Blanc 2 Edição do edital 32/2021 Pacaás Novos, SEJUCEL CODEC RO

Programação

A programação está disponível na página do festival no Instagram @berarapfestival e @nzingaarte. Se inscreve no canal do YouTube Negra Mari e ative o sininho para acompanhar o primeiro Béra Rap Festival.

Fonte: Rondoniaovivo

Postar um comentário

0 Comentários