Confira:

6/recent/ticker-posts

EUA impõem sanções a filhas de Putin; saiba quem são elas



Dois grandes bancos de Moscou também foram alvo de punições após acusações envolvendo corpos em Butcha

PORTO VELHO, RO - Os Estados Unidos anunciaram nesta quarta-feira (6) novas sanções econômicas e financeiras contra a Rússia, que recaem especialmente sobre dois grandes bancos e as duas filhas adultas do presidente Vladimir Putin, visando a aumentar a pressão sobre a economia do país pela invasão à Ucrânia.

O presidente Joe Biden vinculou a escalada de sanções aos relatos de que as forças russas teriam assassinado deliberadamente civis em Butcha, cidade nos arredores de Kiev. "Deixei claro que a Rússia pagaria um preço severo e imediato por suas atrocidades em Butcha", escreveu o americano no Twitter.

Katerina Tikhonova, filha de Vladimir Putin, dança durante o Mundial de Rock'n'Roll Acrobático em Cracóvia, na Polônia, em 2014 - Jakub Dabrowski - 12.abr.14/Reuters

A Rússia nega ter atacado intencionalmente civis e diz que as imagens de corpos em Butcha foram encenadas para justificar punições contra Moscou.

De acordo com as novas sanções, duas filhas de Putin, Maria Vorontsova e Katerina Tikhonova, estão sujeitas ao congelamento de ativos nos EUA e isoladas do sistema financeiro americano. O mesmo tratamento será aplicado à esposa e à filha do ministro de Relações Exteriores Serguei Lavrov, assim como aos membros do Conselho de Segurança da Rússia, entre os quais o ex-presidente Dmitri Medvedev.

"Esses indivíduos enriqueceram às custas do povo russo. Alguns deles são responsáveis por proporcionar o apoio necessário para sustentar a guerra de Putin contra a Ucrânia", afirmou a Casa Branca em nota.

O novo pacote inclui ainda as sanções mais severas contra o banco público Sberbank —que, segundo Washington, controla um terço dos ativos bancários russos— e o Alfa Bank, maior banco privado do país.

As entidades, que já haviam recebido sanções mais brandas, sofrerão o congelamento de seus ativos no sistema financeiro americano e não poderão fazer transações com entidades ou cidadãos dos EUA.

A Casa Branca informou ainda que prevê impor sanções contra "grandes empresas públicas estratégicas", sem revelar quais. Uma autoridade de Washington disse a jornalistas que o governo americano acredita que muitos ativos de Putin estão escondidos com membros de sua família, referindo-se às duas filhas.

Esse funcionário, que falou sob a condição de não ser identificado, explicou à agência de notícias AFP que Washington quer criar um "círculo vicioso" ao acumular medidas contra Moscou, em retaliação pela guerra, nos setores de capitais, tecnologia e força de trabalho.

De forma quase concomitante ao anúncio dessas sanções, Washington informou que o bilionário russo Konstantin Malofeiev também seria alvo de punições. O oligarca é considerado uma das principais fontes de financiamento dos separatistas pró-Rússia na região do Donbass, no leste da Ucrânia, e é acusado de "tentar contornar as sanções" contra a Rússia.

A Casa Branca disse que as medidas visam a tornar a Rússia um pária na economia mundial, mas que exceções seriam abertas no setor de energia —principal fonte de recursos do Tesouro de Moscou—, já que as medidas são coordenadas com aliados europeus, muito dependentes do gás russo.

O Reino Unido também endureceu suas punições contra Moscou nesta quarta ao aplicar sanções contra dois bancos e suspender, até o fim do ano, a importação de gás russo.

QUEM SÃO AS FILHAS DE PUTIN

De acordo com detalhes do pacote de sanções dos EUA, Katerina Vladimirovna Tikhonova é uma executiva de tecnologia que trabalha para o governo russo e sua indústria de defesa. A outra filha de Putin, Maria Vladimirovna Vorontsova, lidera programas que receberam bilhões de dólares do Kremlin para pesquisas genéticas e que são supervisionados pessoalmente por Putin.

Quando solteiras, as duas tinham o sobrenome Putina, derivação feminina do sobrenome do pai. Katerina e Maria, porém, nunca confirmaram publicamente serem filhas do líder russo, e ele se recusa a responder perguntas sobre elas. Uma investigação da Reuters de 2015 detalhou as conexões e a influência que Katerina, uma dançarina acrobática de rock, tem sobre a nova geração da elite de Moscou.
"Ela se descreveu como esposa de Kirill Shamalov, filho de Nikolai Shamalov, amigo de longa data do presidente Putin", informou o texto. "Shamalov pai é acionista do banco Rússia, que as autoridades dos EUA descreveram como o banco pessoal da elite russa."

Maria Vorontsova em entrevista publicada no YouTube - Reprodução

Como marido e mulher, Kirill e Katerina tinham participações corporativas no valor de cerca de US$ 2 bilhões, segundo estimativas fornecidas por analistas financeiros, além de outras propriedades e ativos.

A filha mais velha de Putin, Maria, estudou biologia na Universidade de São Petersburgo e medicina na Universidade Estadual de Moscou, segundo essa apuração. Ela está envolvida em pesquisas genéticas, que o presidente descreveu no passado como um campo que "determinará o futuro do mundo inteiro".

De acordo com relatos da mídia russa e ocidental, Maria se casou com o empresário holandês Jorrit Joost Faassen. Ela tinha uma carreira de biomédica especializada no sistema endócrino em 2015, como doutoranda no Centro de Pesquisa em Endocrinologia em Moscou, e é coautora de um livro sobre "atraso no crescimento idiopático" em crianças, informou a reportagem da Reuters.

Seu marido trabalhava para o Gazprombank, um grande credor com fortes ligações com a elite em torno de Putin. Não foram encontradas estimativas sobre seus ativos e participações. A Reuters não conseguiu contatar as filhas de Putin, seus representantes ou o Kremlin para comentar as sanções desta quarta.


Fonte: Folha de São Paulo


Postar um comentário

0 Comentários