Confira:

6/recent/ticker-posts

Entenda por que o preço do tomate aumentou 117% em um ano em Porto Velho


Pesquisa da Unir mostra que o valor do alimento segue em disparada desde março de 2021. Mudanças climáticas dos principais produtores do país é um dos fatores do aumento.

PORTO VELHO, RO - A mais recente pesquisa do Programa de Educação Tutorial (PET) do curso de Ciências Econômicas da Universidade Federal de Rondônia (Unir) revelou que o preço do tomate subiu 117% entre março de 2021 e março de 2022 em Porto Velho.

Somente em março deste ano, o aumento foi de 25% em relação a fevereiro de 2022.

Para tentar entender o que está provocando esse aumento e se o preço vai continuar subindo, o g1 conversou com um pesquisador da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) e com um pesquisador do Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea-Esalq/USP).

Por que o preço subiu?

De acordo com o pesquisador da Embrapa, um dos principais motivos pelo aumento do preço está relacionado ao clima.

As severas mudanças climáticas nas principais regiões produtoras do país, como São Paulo, Paraná e Minas Gerais, provocaram a alta no preço do alimento.

"A região produtora de legumes e verduras tiveram um problema seríssimo quanto ao clima este ano e isso acabou comprometendo a produção deles e consequentemente o preço", explicou.



Preço do tomate — Foto: Divulgação/Seappa-RJ

O pesquisador João Paulo Deleo, do Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea-Esalq/USP) explicou que as chuvas intensas e a combinação do calor intenso, geraram perdas nas plantações, afetando os produtores.

Além do clima, outro fator que favorece o aumento no preço é a insuficiência na produção local. O pesquisador da Embrapa explicou que, Vilhena, no Cone Sul do estado, é um dos principais produtores do alimento, mas, com a incidência de pragas, alguns agricultores deixaram a produção de lado.

Para atender a demanda, alguns produtores de Vilhena decidiram criar câmaras frias, para receber o alimento e distribuir para o estado.

“O cara compra na Ceagesp (SP), bota na câmara fria e aquilo vira uma central de distribuição", explicou.

Como Rondônia não é auto suficiente na produção do alimento e com a diminuição na oferta nos principais centros, o preço acabou encarecendo. Abaixo, veja um resumo dos principais fatores que colaboraram com o aumento no preço do tomate:

    * Mudanças climáticas nas principais regiões produtoras do país;

    * Insuficiência na produção local;

   Incidência de pragas em Rondônia;

   Diminuição da oferta nos principais centros.


Quando o preço vai diminuir?

A redução no preço do alimento vai depender do clima nos próximos meses. Segundo o pesquisador do Cepea-Esalq/USP, o valor do tomate deve continuar alto em abril, já que não se espera um aumento muito expressivo das safras.

"Os preços tendem a recuar entre julho e setembro, à medida que a safra de inverno avança. Porém, tomate a gente nunca tem certeza. É uma hortaliça muito sensível à temperatura e por isso, não é incomum oscilações de preços em períodos muito curtos", explica o pesquisador.


Fonte: G1RO

Postar um comentário

0 Comentários