Confira:

6/recent/ticker-posts

Guerra na Ucrânia: quem são os oligarcas russos e por que alguns se envolveram no conflito

Grupo de muito ricos ganhou destaque após a queda da União Soviética e agora vem sendo alvo de sanções do Ocidente

PORTO VELHO, RO - Os oligarcas russos estão novamente no centro das atenções internacionais à medida que a crise entre a Rússia, a Ucrânia, a Europa e os Estados Unidos aumenta.

Quando a Rússia invadiu na Ucrânia, países como EUA e Reino Unido reforçaram sanções contra os bancos russos e muitos indivíduos, muitas vezes descritos pela imprensa como "companheiros" de Putin.

Aqui, analisamos o que são os oligarcas, como o termo se originou e por que muitos oligarcas russos estão agora sendo alvos de sanções.

O QUE É UM OLIGARCA?

A palavra "oligarca" tem uma longa história, mas nos tempos modernos ela adquiriu um significado muito mais específico.

Um oligarca no sentido tradicional é um membro ou apoiador de uma oligarquia —um sistema político no qual um pequeno grupo de pessoas governa.

Mas hoje em dia o termo é usado para se referir a um grupo de russos extremamente ricos que ganhou destaque após a queda da União Soviética em 1991.

O proprietário do Chelsea Football Club, Roman Abramovich, é um dos oligarcas russos mais famosos do mundo 

A palavra "oligarquia" vem do grego "oligoi", que significa "poucos", e "arkhein", que significa "governar".

O sistema é diferente de uma monarquia (o governo de uma pessoa, "monos") ou uma democracia (o governo do povo, "demos").

O QUE DEFINE UM OLIGARCA?

Um oligarca pode ser membro de uma casta dominante separada do resto da sociedade por sua religião, parentesco, prestígio, status econômico e até idioma.

Essas elites tendem a governar seguindo apenas seus próprios interesses, muitas vezes usando meios duvidosos.

QUEM SÃO OS OLIGARCAS DE HOJE?


Hoje em dia, um oligarca é uma pessoa ultra-rica que ganhou dinheiro fazendo negócios com o Estado.

Talvez o oligarca mais conhecido no Reino Unido seja o empresário russo Roman Abramovich, proprietário do Chelsea Football Club. Com um patrimônio estimado em US$ 14,3 bilhões (R$ 73 bilhões), ele fez sua fortuna vendendo ativos após a queda da União Soviética que anteriormente pertenciam ao Estado russo.

Em 26 de fevereiro, dois dias depois do início da invasão russa à Ucrânia, Abramovich divulgou um comunicado que dizia que ele havia entregado "a administração do Chelsea FC" à fundação de caridade do clube. Mas ele continuará sendo o dono do clube.

Outro oligarca é Alexander Lebedev, ex-funcionário e banqueiro da KGB, cujo filho Evgeny é o proprietário do jornal London Evening Standard. Evgeny é cidadão britânico e membro da Câmara dos Lordes.

Outros países também têm oligarcas, mas esse termo não costuma ser usado como a mesma frequência de quando se trata da Rússia.

O ex-presidente ucraniano, Leonid Kuchma, supervisionou as privatizações e reformas econômicas libertais - Getty Images

O Instituto Ucraniano para o Futuro (UIF), uma organização independente com sede em Kiev, culpa a ampla influência dos oligarcas na sociedade, na indústria e na política ucranianas pela falta de desenvolvimento do país.

Em um relatório, a UIF diz que os "antigos oligarcas" do país prosperaram sob a presidência de Leonid Kuchma (1994-2005) após o colapso soviético na década de 1990. "Os oligarcas ucranianos receberam a maior parte de seus ativos por causa de um conluio com autoridades e via um processo não transparente de privatização. Desde então, o controle sobre o sistema político continua sendo um aspecto fundamental para salvar seus negócios."

COMO OS OLIGARCAS GANHARAM DINHEIRO?

O diretor-executivo da UIF, Victor Andrusiv, disse em um evento no Wilson Center em Washington em 2019 que os oligarcas são "uma classe especial" de pessoas, com "uma maneira especial de fazer negócios" e que eles têm uma "maneira especial de viver e influenciar" o mundo.

"Eles não são realmente homens de negócios. São pessoas ricas, mas a forma como ficaram ricos é absolutamente diferente do que acontece em um Estado capitalista [funcional]", disse Andrusiv.

"Eles não criaram o negócio: eles sequestraram o negócio do Estado."

POR QUE EXISTEM TANTOS OLIGARCAS RUSSOS?

Os oligarcas russos estão em evidência hoje por causa do que aconteceu após o fim da União Soviética em 1991.

No Natal de 1991, Mikhail Gorbachev renunciou à presidência soviética e entregou o poder a Boris Yeltsin, que se tornou presidente da recém-independente Rússia.

Mikhail Gorbachev renunciou em dezembro de 1991 e entregou seus poderes presidenciais a Boris Yeltsin - Getty Images

No comunismo não existia propriedade privada. Mas na Rússia capitalista houve privatização em larga escala —particularmente nos setores industrial, energético e financeiro.

Como resultado, muitas pessoas ficaram incrivelmente ricas durante a privatização no início dos anos 1990.

Indivíduos bem posicionados e com as conexões certas puderam adquirir fatias inteiras da indústria russa —muitas vezes lidando com matérias-primas como minérios ou petróleo e gás, que têm demanda no mundo todo.

Parte deles subornou funcionários públicos que permitiram essas privatizações —ou lhes deu empregos como diretores em suas empresas.

Os oligarcas possuíam meios de comunicação de massa, campos petrolíferos, siderúrgicas, empresas de engenharia e, muitas vezes, podiam pagar pouco imposto sobre lucros.

Eles apoiaram Yeltsin e financiaram sua campanha presidencial de 1996.

PUTIN E OS OLIGARCAS

Quando Putin sucedeu Yeltsin, ele começou a controlar os oligarcas.

Aqueles que seguiram alinhados politicamente com Putin tornaram-se ainda mais bem-sucedidos. Mas alguns dos oligarcas originais que se recusaram a seguir essa linha, como o banqueiro Boris Berezovsky, foram forçados a fugir do país. Mikhail Khodorkovsky, que já foi considerado o homem mais rico da Rússia, vive em Londres hoje em dia.

Quando perguntado sobre os oligarcas em 2019, Putin disse ao Financial Times: "Não temos mais oligarcas".

Mas pessoas com relações muito próximas a Putin conseguiram construir verdadeiros impérios no mundo dos negócios graças ao seu patrocínio.

Putin é fotografado após um treinamento de judô em Sochi junto aos bilionários Vasily Anisimov e Arkady Rotenberg - Getty Images

Boris Rotenberg, que frequentou o mesmo clube de judô que Putin na infância, foi descrito pelo governo do Reino Unido como "um empresário russo proeminente com laços pessoais estreitos" com Putin.

Segundo a Forbes, Rotenberg tem uma fortuna de US$ 1,2 bilhão (R$ 6 bilhões).

Tanto Rotenberg quanto seu irmão Arkady foram alvo de sanções do Reino Unido depois que Putin reconheceu as duas regiões separatistas de Donetsk e Luhansk, no leste da Ucrânia, como "repúblicas populares".

A Ucrânia, os EUA, a União Europeia, a Austrália e o Japão também impuseram sanções aos oligarcas russos. Após a invasão russa da Ucrânia, muitas dessas restrições provavelmente serão ainda mais rígidas.

Mas alguns oligarcas seguem sem sanções, como é o caso de Roman Abramovich, dono do Chelsea.

Garage, o museu de Roman Abramovich


Garage, museu fundado pelo bilionário russo Roman Abramovich, em Moscou Naroditskiyalexeym/DivulgaçãoMAIS


Após a invasão da Ucrânia, parlamentares do Reino Unido pediram que os ativos de Abramovich fossem sancionados, alegando laços estreitos do oligarca com o Kremlin —algo que o bilionário nega.

Abramovich não está sob nenhuma sanção do Reino Unido, da União Europeia ou dos EUA.

O primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, precisou se corrigir depois de dizer erroneamente ao parlamento que Abramovich estava sendo alvo de sanções. A ministra de Relações Exteriores do Reino Unido, Liz Truss, se recusou a dizer se o governo considera sancionar o oligarca russo. Ao longo da guerra na Ucrânia, parte da imprensa britânica tem apontado laços próximos entre empresários russos e os conservadores, liderados por Johnson.

Um industrial com laços estreitos com o presidente Putin, Oleg Deripaska foi sancionado nos EUA desde abril de 2018,

O Tesouro dos EUA diz que ele foi "investigado por lavagem de dinheiro e acusado de ameaçar a vida de rivais comerciais, grampeando ilegalmente um funcionário do governo, e participando de extorsão e extorsão. Há também alegações de que Deripaska subornou um funcionário do governo, ordenou o assassinato de um empresário e tinha ligações com um grupo do crime organizado russo." Ele nega qualquer irregularidade.


Fonte: Folha de São Paulo

Postar um comentário

0 Comentários