Confira:

6/recent/ticker-posts

Foliões driblam regras e protestam contra proibição do carnaval

Fantasiados e sem máscara de proteção, foliões foram às ruas contra os decreto do governador que proibiu festas no DF

PORTO VELHO, RO - Um grupo de foliões fantasiados e sem máscara de proteção facial desafiou a ordem de não aglomerar e ocupou o Buraco do Tatu, na área central de Brasília, em forma de "protesto" contra a proibição da festa no DF. O evento começou às 16h e terminou por volta das 20h deste domingo (27).

Os foliões se concentraram na 706 Norte e seguiram em bloco até a 106 Norte. Segundo a Polícia Militar, mesmo com o desrespeito aos decretos do Executivo local, não houve abordagens ou prisões.

Em janeiro, o governador assinou um decreto de suspensão de festas e eventos de carnaval, públicos ou privados. O objetivo era evitar as aglomerações típicas desses eventos, que podem favorecer a contaminação pelo coronavírus.

Na última quinta-feira (24), o diretor de Vigilância Epidemiológica da Secretaria de Saúde, Fabiano dos Anjos, afirmou que a pasta temia que o Carnaval levasse a uma alta nas taxas de contaminação da população por Covid-19. Ele e o secretário Manoel Pafiadache destacaram que o número de contaminados começa a cair, mas que o comportamento durante a data comemorativa seria decisivo para o cenário a seguir.

Diante da probabilidade de aumento nos casos, Ibaneis prometeu endurecer a fiscalização de festas clandestinas. Ele afirmou que os órgãos de controle estariam nas ruas e descartou qualquer tipo de flexibilização dos protocolos sanitários contra a Covid-19 no feriado prolongado.

O MP (Ministério Público) e órgãos do governo do Distrito Federal interditaram 17 estabelecimentos por promoverem festas e aglomerações desde o início das operações de carnaval. Segundo o MP, foram inspecionadas cerca de 150 localidades, entre bares e espaços para festividades.

O órgão informou que 11 autuações foram aplicadas por irregularidades, descumprimento do protocolo sanitário, poluição sonora e uso irregular de área pública. Quem for pego cometendo alguma dessas infrações poderá pagar multas de R$ 4.000 a R$ 20 mil.

Fonte: R7

Postar um comentário

0 Comentários