Confira:

6/recent/ticker-posts

Bolsonaro sobrevoa área de enchentes na Bahia e ordena ações de socorro

 

A violência das águas arrastou parte da ponte, na região de Porto Seguro, na Bahia - Foto: Isac Nobrega/PR.

Porto Velho, RO - Após sobrevoar municípios do sul da Bahia, afetados pelas fortes chuvas que vêm assolando a região, na companhia dos ministros do Desenvolvimento Regional, da Saúde e de Cidades, o presidente Jair Bolsonaro afirmou que o governo federal está mobilizado para ajudar a população.

“Estamos dando apoio da Polícia Rodoviária Federal, todos os nossos ministérios, Defesa Civil”, disse.

O presidente voltou a falar sobre a liberação, pela Caixa, de recursos do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) em no máximo cinco dias, para pessoas desabrigadas das cidades em estado de calamidade reconhecido pelo governo federal.

O anúncio já havia sido feito neste sábado (12) pelo presidente da Caixa, Pedro Guimarães.


Queiroga, Marinho e Roma com Bolsonaro, sobrevoando áreas afetadas.

Bolsonaro salientou que o principal investimento no momento, de caráter emergencial, envolve o FGTS, a recuperação de estradas e pontes, resgate, reconstrução de casas destruídas, fornecimento de água e alimentos.

“A presença nossa é um ato de solidariedade com o povo da Bahia”, manifestou.
Marinho libera recursos

O ministro do Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho, informou que desde o final de novembro, no início das chuvas, entrou em contato com a Defesa Civil da Bahia e de Minas Gerais.

“Aqui na Bahia, já liberamos quase R$ 6 milhões e estabelecemos um centro de controle e acompanhamento de desastres em Itamaraju e outro em Minas Gerais”.

Marinho disse que providências estão sendo tomadas inclusive no curto prazo, em termos da necessidade de alimentos, cobertores, medicamentos, e em médio prazo, que envolve a retomada de serviços essenciais que foram interrompidos e posterior reconstrução da infraestrutura dos municípios.

Adiantou o ministro do Desenvolvimento Regional que um corpo de engenheiros da Defesa Civil chega à Bahia nesta segunda-feira (13) para ajudar os prefeitos a elaborarem os projetos de reconstrução.

“Nós estamos com mais nove planos de trabalho em análise e tem 24 municípios no estado da Bahia aptos a apresentarem projetos de enfrentamento e emergenciais. Os R$ 6 milhões são apenas o início do processo”.
Insumos estratégicos

O ministro da Cidadania, João Roma, agradeceu o empenho de todos os envolvidos nas ações de socorro às vítimas das fortes chuvas: “São muitas ações que estamos agindo de maneira coordenada pelo governo federal”.

Mais de 30 mil cestas de alimentos já estão sendo destinadas aos desabrigados no apoio logístico do Exército e mais de 60 centros de acolhimento para abrigar a população foram montados, citou Roma.

Referiu-se ainda a iniciativas de voluntários da sociedade civil e entidades religiosas, descartando qualquer possibilidade feição política às ações.

“É lamentável que, em um momento como este, muitas pessoas tentem se utilizar desse momento de dor da nossa população”. Ele reiterou que este não é momento de disputa nem de ideologia político partidária. “É um momento de união de forças, em defesa do povo baiano”.

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, afirmou que a pasta se soma às ações dos demais ministérios no tocante à área da saúde pública, “trazendo insumos estratégicos para apoiar nessa emergência sanitária que se segue à catástrofe e estamos atuando em conjunto com as autoridades sanitárias dos estados e municípios para levar uma assistência à saúde adequada para os municípios afetados”.
Defesa também no socorro

O Ministério da Defesa está coordenando os esforços na ação conjunta. A Marinha, por exemplo, acionou aeronaves para a região.

Uma tropa precursora dos Fuzileiros Navais está a postos para apoiar os municípios em ações de resgate, de busca e salvamento de pessoas em áreas desabrigadas.

Uma grande operação está montada também no norte do Espírito Santo, com o navio aeródromo Bahia, com capacidade de hospital e socorro, caso a situação das chuvas evolua.

A embarcação poderá ainda ser uma base aérea para apoio ao transporte de medicamentos para o sul baiano. O ministério está buscando também restabelecer as ligações com a região do sul da Bahia. Exército e Aeronáutica participam do apoio logístico.

Fonte: DP Redação, 12/12/2021

Postar um comentário

0 Comentários